Helvetin Viemärit: punk em finlandês fabricado no Brasil

helvetin

Por Sigryd Bagon

A cena punk finlandesa influenciou e continua influenciando bandas ao redor do mundo todo, porém poucas vezes você verá uma banda de fora da Finlândia que se identifica inclusive com o idioma. O Helvetin Viemärit traz esse diferencial para terras brasileiras, mostrando que a fronteira musical e a paixão pela Finlândia não tem limites. Confira a entrevista realizada com o vocalista Bonga, onde ele conta um pouco mais sobre a carreira da banda e como surgiu a ideia de fazer um trabalho inspirada na cultura suomi.

SL: Como surgiu a ideia de compor em finlandês?
Bonga: Oi Sigryd! Valeu pelas perguntas e interesse no Helvetin Viemärit! Nós da banda, “se encontrando” para trocar ideia, falar besteira e beber, tivemos essa ideia de compor em finlandês, porém ela passou de uma brisa entre amigos para uma ideia concreta. Primeiro eu, Bonga, vocalista, ía tocar bateria e o Jef, guitarrista, ía tocar guitarra e cantar, era para ser um estilo mais punk rock “chuta lixo” e bem mais primitivo (nem sei tocar bateria hehe), mas aí o Tiago se juntou a gente e foi para a bateria, assim a gente conseguiu chegar a um som mais pesado, barulhento e urgente. Eu não sabia falar finlandês e ainda não sei. O que eu aprendi é desde que comecei a curtir hardcore/punk, sempre ouvindo os LPs/Eps de bandas finlandesas e acompanhando as letras e após começar o Helvetin, com o Google Tradutor dando uma força. O Jef também me ajuda muito com as pronúncias, ele manja consideravelmente e gosta de línguas difíceis como finlandês, sueco e alemão. Sei que não sai tudo perfeito quando “cantamos” e sei que muita gente não faz ideia sobre o que falamos mas se a pessoa realmente gostar do som pode jogar as letras no tradutor virtual ou pedir a tradução pra mim (como já rolou algumas vezes). Então é bom que as mensagens não sejam fáceis de serem assimiladas, pois eu descobri o que as bandas finlandesas falavam correndo atrás. Hoje em dia todo mundo tá acostumando com tudo mastigado e isso só é legal quando a gente é criança.

SL: De alguma forma as composições em finlandês ajudam na divulgação na Finlândia?
Bonga: Sim, demais! Primeiro eles ficam curiosos com o nome, que significa algo parecido com “Esgotos do Inferno” para eles. Quando eles percebem que a banda é brasileira, rola ainda mais interesse. Lá tem um festival clássico de hardcore/punk chamado Puntala Rock, que acontece desde 1980 e nos fóruns, que as pessoas pedem as bandas, nosso nome é citado com frequência. Seria muito legal fazer uma tour lá, um pouco para ajudar na divulgação das músicas mas muito mais por experiência própria, seria o ponto máximo de satisfação como banda. Alguns amigos e amigas finlandeses que vêm tocar aqui com as suas bandas também ajudam bastante o pessoal do Norte a conhecerem a banda. Por exemplo as meninas do Kovaa Rasvaa, uma banda de hardcore extremamente furiosa com 3 mulheres e um homem que tocaram por aqui duas vezes conosco e rolou uma troca de ideias e materiais muito massa, elas sempre estão usando nossas camisetas nos shows por lá. Mesma coisa com outras bandas que vieram para cá, como Uhrit, Lapinpolthajat e Riistetyt. Aparece também uma galera no Facebook, o último cara que entrou em contato, por exemplo, quis fazer uma letra pra gente! Muito massa este intercâmbio.

SL: Quais as principais influências da banda?
Bonga: Nossas influências não são apenas bandas de hardcore da Finlândia, como Kaaos, Terveet Kädet, Uutuus, Kuolema, Bastards, Tuomiopäivän Lapset, Sorto, Destrucktions, etc, mas também bandas noise/punk/hardcore do mundo todo como Heresy, Larm, Asocial, Sore Throat, Psykoze, Siege, Disorder, Atack Epiléptico, Shitlickers, entre outras.

SL: Quais os principais pontos que vocês destacam em relação a cena punk brasileira e a finlandesa?
Bonga: A relação entre as cenas dos dois países vem desde o começo dos anos 80 com a troca de fanzines, cartas e materiais entre os dois países. A cena finlandesa, por exemplo, foi uma grande influência para o Ratos de Porão no começo, por exemplo, a tocarem mais rápido e com vocais mais agressivos que o punk rock da época. Vários discos de bandas finlandesas foram lançados aqui nos anos 80 e não era comum isso em outros países do globo, bandas como Rattus, Terveet Kädet e Massacre serem lançadas em um país que não fosse a Finlândia. Gostaria de destacar também a banda finlandesa Força Macabra, que canta em português e adora o metal/punk brasileiro de bandas como Armagedom, Skarnio, Anthares e Cólera! A relação é muito boa, sempre têm bandas daqui indo tocar lá e vice e versa, inclusive nosso próximo material é um split com a banda suomi Kuolema.

SL: O finlandês é um idioma incomum para os brasileiros. Como é a aceitação do trabalho de vocês no Brasil?
Bonga: Eu acho que, dentro do estilo que tocamos que é bem restrito, é muito boa, pois muitas pessoas, assim como nós, adoram o som punk feito na Finlândia desde o comecinho dos anos 80 e entendem a nossa “pira” de cantar neste idioma estranho. Muita gente fica curiosa, pede as traduções das letras, as vezes até canta junto nos shows. Nossos materiais também sempre são lançados apenas por selos nacionais. No Brasil é onde mais as pessoas gostam da gente.

SL:  O que os fãs podem esperar do próximo trabalho?
Bonga: No segundo semestre vão sair dois splits. O primeiro com o Kuolema da Finlândia, clássica banda de noisecore que começou em 1982. Este vai sair em vinil sete polegadas. Já o outro é um CD split com nossos amigos do Nucleär Fröst também de São Paulo. Nele vão estar nosso primeiro EP 7”, as músicas do split com o Kuolema e alguns bônus. Sobre o som, podem esperar o de sempre, barulho e distorção!

SL:  Deixe um recado aos fãs da banda e também aos admiradores da Finlândia que irão conhecer o trabalho de vocês através do Suomi Lovers.
Bonga: Sigryd, valeu a oportunidade de contar um pouco sobre a banda e mostrar um pouco do nosso som e ideias para não só quem curte punk/hardcore, mas a cultura finlandesa no geral. Quem ficou interessado por encontrar a gente no Facebook (www.facebook.com/helvetinviemarit), escutar nossas músicas no Bandcamp (www.helvetinviemarit.bandcamp.com). Caso não tenha Facebook e quiser algo da banda, pode mandar um email para mim (brunocarubbi@gmail.com). Melua ja Säroä! Kiitos!

 

Para conhecer mais sobre a banda Força Macabra, os finlandeses que fazem som em português, confira a entrevista que o canal LIVE AFTER MIDNIGHT fez diretamente da Finlândia: https://www.youtube.com/watch?v=06vaEfEeicY 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s